Após anos longe dos cadernos, voltei a estudar no Tchê Concursos em novembro de 2012 para o concurso da Defensoria Pública. Após o curso, fiz a prova e o resultado ficou abaixo do que eu esperava. Pouco depois, entrei no curso para a prova da Unipampa, feita em maio de 2013. Desta vez foquei mais no estudo graças ao material do Tchê e não fui aprovado por duas questões. Na época, me abalei um pouco achando que não iria conseguir ser aprovado nunca. Para minha sorte, neste ano de 2014 novamente teve concurso da Unipampa e fui aprovado em 26º entre mais de 3 mil inscritos. A ajuda e dicas dos professores foi fundamental para obter o sucesso. Não contente, frequentei aulas do curso para Assistente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda, para trabalhar na Receita Federal. Para minha surpresa, e após muito esforço, fiquei entre os 18 aprovados na cidade, sendo que eram mais de 300 concorrentes. 

Uma coisa o concurseiro tem que ter em mente: por melhores que sejam os materiais e os professores do Tchê Concursos, é preciso sentar e estudar, seja em casa, no trabalho, no ônibus ou seja onde for. É preciso anotar, fazer resumos, gravar aulas, achar um método que facilite o estudo e o aprendizado. O que é um bom método para um, pode não ser para outro, cada um deve encontrar o seu. E o mais importante: com o estudo fora do cursinho, surgem as dúvidas que poderão ser sanadas dentro da sala de aula, e é aí que o Tchê Concursos faz a diferença. 

 

Apesar das minha aprovações, não vou parar de estudar. O negócio é seguir adiante e contar com o apoio do total da galera que é fera em concursos públicos em Bagé - Tchê Concursos.

 

— Murilo Dotto